carregandi

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Acesso do Associado:   
 

Ainda não é associado?

Venha fazer parte da Assisefe!

Clique aqui!
A - A +

Parlamentarismo, antes tarde do que nunca!

history terça-feira, 16 de janeiro de 2018     folder Editoriais

 

“povo põe, o povo tira” - Bordão da campanha presidencialista

Esse bordão foi exaustivamente utilizado pelo grupo que defendeu o presidencialismo durante a campanha do plebiscito que derrotou o parlamentarismo.

E ele foi criado tendo em vista o inusitado impeachment do Collor, que caiu muito mais pelas fortes atitudes de confronto com o “establishment” do que por causa do Fiat Elba que recebeu de presente.

O Collor não era nenhum santo, mas, como dizia o veterano senador Pedro Simon, ele era um trombadinha perto do que se vê hoje na Petrobras e adjacências.

Há bem pouco tempo, depois de muito sangrar, foi-se a Dilma e para não dizer que não falamos de flores, agora está na linha do pênalti o Michel Temer.

E o povo, onde fica? Oras, na comodidade de quem optou pelo sistema presidencialista. Fica rezando para que alguma coisa aconteça, como se Deus tivesse culpa das nossas péssimas opções.

Infelizmente não funciona assim. Você tem que fazer a tua parte. Ou você pressiona, vai às ruas, se manifesta, ou vence o discurso mentiroso, a força de quem tem a chave dos cofres “da mãe Joana” para comprar deputados, senadores, governadores, prefeitos e quem mais quiser; quem tem a caneta para nomear ministros e diretores de estatais; quem tem a caneta para atazanar a vida de todos nós e ainda utilizar a TV e o Rádio se fazendo de vítima.

Agora volta-se a falar em Parlamentarismo, como uma panaceia para curar os males que nossas autoridades fingem que não são delas.

Mas, se formos esperar por um milagre, ainda acredito que esse milagre seja, sim, a mudança do sistema de governo. Mesmo que ele não nasça pelas mãos impolutas de um Ulysses, Covas ou Franco Montoro, que o seja por quem tiver a coragem de dizer Basta!

O sistema presidencialista está para o Brasil como a dança do caranguejo, dois para frente, três para trás. Crises, intervenções militares, hiato democrático, crise de novo, e assim vamos enfrentando os tsunamis.

Acorda, povo brasileiro! Ocupe as ruas, as praças, faça-se presente. Informe-se. Participe. Diga Basta!

Faço um forte apelo, principalmente para você que deixou de ir às urnas em 2014: saia agora do seu conforto e vá às ruas. Cumpra o seu dever de cidadania. Reaja. Mostre a tua cara. Leve teus filhos, pais, amigos, agregados. Leve o teu cachorro para um passeio cívico.

Os teus netos, bisnetos, tataranetos, por certo agradecerão este teu sacrifício.

Acorda Brasil!

Lourival Zagonel

Presidente