carregandi

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Acesso do Associado:   
 

Ainda não é associado?

Venha fazer parte da Assisefe!

Clique aqui!
A - A +

ASSISEFE é homenageada pela Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília

history sexta-feira, 11 de dezembro de 2020     folder Notícias

 

Na manhã desta sexta-feira (11), a ASSISEFE foi homenageada pela Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília (RFCC), pela doação de 300 cestas básicas em 2020. A Associação doa os alimentos para a Rede desde 2012.

Estendemos esta lembrança a todos nossos associados que tornam possíveis ações de solidariedade como esta.

A Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília funciona no Hospital de Base e sua atuação vai de conversa e o apoio emocional à doação de cestas básicas, lanches solidários, perucas, lenços, próteses mamárias, transporte solidário, entre outros. São mais de 26 projetos que oferecem apoio tanto a pacientes quanto aos acompanhantes.

Atualmente a Rede conta com mais de 300 voluntários que atuam de domingo a domingo em diversos setores do hospital: ambulatório, sala de quimioterapia, radioterapia, pronto-socorro e Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O trabalho da instituição começou em outubro de 1996, quando a fundadora e desde então presidente, Maria Thereza Simões Falcão, teve a iniciativa, a partir de um convite da Rede Feminina nacional, de trazer o projeto para a capital.

Cesta básica

As pessoas ajudadas pelo grupo enfrentam, além da doença, situações de vulnerabilidade e dificuldades financeiras. Para que possam focar no tratamento, alguns aspectos sociais recebem assistência da Rede. A distribuição de cestas básicas foi uma iniciativa para minimizar um pouco do sofrimento das famílias - a ASSISEFE doa 25 cestas todos os meses. O projeto começou em 2001, após a coordenadora Vera Lúcia Bezerra da Silva perceber que uma paciente sempre guardava metade do almoço. Quando quis saber o motivo, ouviu a mulher dizer que levava a comida para os filhos, pois eles não tinham o que comer em casa. “Nosso público é carente. São mulheres abandonadas, que são pai e mãe. Elas estão preocupadas com o câncer, com o aluguel, em alimentar os filhos e outras coisas”.

Quem desejar conhecer mais o trabalho da Rede Feminina, este é o telefone (61) 3223-0103 e este o site da instituição: www.redefemininabrasilia.org.br