carregandi

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Acesso do Associado:   
 

Ainda não é associado?

Venha fazer parte da Assisefe!

Clique aqui!
A - A +

Biografia de garçom da presidência revela momentos marcantes da história e proporciona prazerosa viagem ao cenário político de 60 anos atrás

history sexta-feira, 11 de junho de 2021     folder Notícias

 

José Dutra Ferreira (*01/09/1931 †07/01/2014), um mineiro tímido e simples de Araxá que adorava contar seus enredos profissionais aos filhos, netos e amigos, percebeu que outras pessoas poderiam se interessar em saber um pouco mais dos seus contos. E não se tratavam apenas de simples fábulas. Era a história dos bastidores políticos na construção de Brasília: do começo de uma cidade, do sonho de Juscelino Kubitschek, da esperança, do anseio e do desafio de milhares de trabalhadores brasileiros.

Aos poucos, foi surgindo a ideia, hoje concretizada, do livro “Dutra – Memórias de um garçom de Juscelino, mordomo em Brasília”. Este não é apenas um livro. É a história viva e real da capital da República, aquela que não consta nos registros oficiais e nem nos livros didáticos.

Dutra chegou em Brasília – onde quase nada existia além da poeira – em 4 de janeiro de 1957, aos seus 26 anos. Seu primeiro dia de trabalho foi servir em um churrasco no Brasília Palace Hotel. Era o aniversário de Israel Pinheiro. E lá estava Dutra, de roupa de garçom, servindo JK, dona Sarah, as filhas Márcia e Maristela e dona Júlia, a mãe do presidente.

Em sua trajetória de quase quatro décadas, José Dutra foi testemunha ocular do anúncio da renúncia de Jânio Quadros feito pelo próprio presidente à sua mãe, dez dias antes dos fatos, em jantar no Palácio da Alvorada. E também estava lá quando da ocupação da residência oficial por militares, enquanto se decidia se o vice-presidente João Goulart assumiria ou não a cadeira presidencial.

O livro traz essas e muitas outras histórias que vão da concretização do idealismo dos primeiros líderes até a eleição de José Sarney para a presidência do Senado, no primeiro governo FHC. Dutra presenciou atos, ouviu conspirações. Assistiu golpes. Comemorou a volta da democracia. Amou e viveu Brasília como poucos. São narrativas que envolvem grandes nomes da história de Brasília entre os anos 1957 e 1997.

Sempre discreto e muito dedicado, trabalhou como mordomo na Residência Oficial do Senado Federal por muitos anos e serviu ilustres senadores como Luiz Viana Filho, José Manuel Fontanillas Fragelli, Humberto Coutinho de Lucena e José Ribamar Sarney.

O livro

A obra foi escrita pela jornalista Rosalba Ribeiro da Matta Machado a partir de longas conversas com o próprio Dutra e seus familiares. O lançamento oficial do livro será em julho, mas ele já pode ser adquirido com a família de José Dutra, representada por sua filha Jussara Dutra Izac. (Contato no fim desta matéria).

Jussara, inclusive é o quarto nascimento oficial de Brasília. Ela é uma prova personificada do amor do pai pelo fundador de Brasília e toda sua representação política. Seu nome é a junção de Jus (de Juscelino Kubitschek) e Sarah (de dona Sarah Kubitschek).

Além das memórias de Dutra e do registro histórico desse vasto período da capital federal, o livro contém ainda fac-símiles de documentos, ilustrações, fotos dos personagens mencionados, índice remissivo e muito mais.

A leitura dessa obra é uma encantadora e prazerosa viagem política de volta ao tempo.

 

DUTRA – MEMÓRIAS DE UM GARÇOM DE JUSCELINO, MORDOMO EM BRASÍLIA

Outubro Edições, 400 páginas, R$ 70,00 (frete grátis para todo o Brasil).

O livro pode ser adquirido com a família de José Dutra Ferreira, representada por sua filha Jussara Dutra Izac nos contatos (61) 99970-9327 e sarahizac@gmail.com