carregandi

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

Acesso do Associado:   
 

Ainda não é associado?

Venha fazer parte da Assisefe!

Clique aqui!
A - A +

Saiba quais alimentos ajudam a fortalecer o sistema imunológico

history quinta-feira, 14 de maio de 2020     folder Notícias

 

O Brasil se tornou, nessa quarta-feira (13), o 6º país do mundo com mais casos do novo Coronavirus, e diante do atual cenário, todo cuidado é fundamental. Além do distanciamento social, uso de máscaras e mais atenção à higienização, a alimentação adequada é uma forte aliada neste momento. Ela não previne a doença, mas fortalece a imunidade para um possível enfrentamento do vírus. Veja abaixo algumas dicas. Lembrando que a boa alimentação deve ser rotineira e os benefícios são colhidos com o tempo, mas nunca é tarde para começar novos hábitos alimentares, principalmente para os idosos, que aparecem como o principal grupo de risco nesta pandemia.

Frutas: o limão e a laranja contam com grande quantidade de vitamina C, assim como acerola, goiaba, mamão e tangerina, também conhecida como mexerica e bergamota, em algumas partes do país. Outras opções ricas em antioxidantes são as frutas vermelhas, como morango, amora, mirtilo, groselha, goji, cereja e açaí.

As frutas e legumes alaranjados (mamão, cenoura, damasco) são ricos em pigmento carotenoide, vitamina A e vitamina C. Atuam na manutenção dos tecidos, pele e cabelos, aumentam a imunidade e a defesa antioxidante e melhoram a acuidade visual e a visão noturna.

Alimentos arroxeados (uva roxa, ameixa, mirtilo, jabuticaba) são fontes de antocianina e resveratrol, eles possuem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes, antifúngicas e cardioprotetoras;

Castanha do Pará e nozes: fontes de selênio, vitamina E, ômega 3;

Linhaça: fonte de ômega 3, isoflavonas e fibras.

Alho: fonte do fitoquímico alicina. Possui ação antifúngica, anti-inflamatória, antioxidante e hipotensora.

Mel: anti-inflamatório, melhora a imunologia, expectorante, fonte de energia e prebióticos que favorecem o funcionamento intestinal e estimulam proliferação de bactérias benéficas intestinais.

Gengibre: fonte de vitamina C e B6 (piridoxina), possui propriedade anti-inflamatória e antioxidante.

Fontes de ferro: consumo de alimentos como carnes e vegetais verde-escuros (espinafre, bertalha, brócolis, agrião, couve) ajudam na absorção da vitamina C;

Vegetais: além de contarem com uma variedade de nutrientes e vitaminas do complexo B, são fontes de fibras, colaborando para uma microbiota intestinal saudável.

Peixes de águas profundas: salmão e sardinha, por exemplo, são ricos em ômega 3 e ácidos graxos insaturados, que também contam com ação anti-inflamatória e auxiliam na homeostase do sistema imune;

Probióticos: é o caso das bactérias benéficas disponíveis em iogurtes e também no kefir e na kombucha;

Prebióticos: alguns dos mais importantes são as fibras alimentares presentes em leguminosas, frutas e grãos, farinhas e farelos integrais;

Os alimentos como arroz, aveia, milho, batata, abóbora, mandioca e pão são importantes fontes de energia e, por isso, devem ser os principais ingredientes das refeições dos idosos. Melhor ainda se forem consumidos nas formas integrais. Eles possuem carboidratos, fibras, vitaminas e minerais, especialmente os cereais integrais.

Prática regular de esportes (mesmo dentro de casa), controle do estresse, grande consumo de água  e sono de qualidade também colaboram para um bom sistema imunológico.

Essas recomendações valem, não apenas para o Covid-19, e sim para demais infecções e vírus - como Influenza A e H1N1.

Fonte: Globo e Ministério da Saúde