carregandi

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

A - A +

Golpistas usam falsas promessas para enganar servidores que têm empréstimo consignado

history segunda-feira, 6 de junho de 2022     folder Notícias

 

Servidores que têm empréstimo consignado devem tomar cuidado com um novo golpe na praça. Intermediários de falsas empresas de consultoria oferecem supostas vantagens de uma portabilidade com promessa enganosa de diminuir o valor das parcelas. Para fechar o negócio, no entanto, seria preciso contrair um novo empréstimo para quitar a dívida inicial. No final, eles terminam por roubar o dinheiro das vítimas.

O chefe do Serviço de Consignações Facultativas (Seconf), André Hermenegildo Rosa, explica que, de alguma forma, os golpistas conseguem o contato de servidores que contraíram empréstimo. Eles então oferecem um segundo empréstimo com outra instituição financeira, pedem para essa quantia ser depositada em nome de uma empresa golpista, mas sob a promessa de devolver o valor dessa segunda parcela com um adicional, abatendo a mensalidade da dívida por troco.

— No começo, notamos que eles até pagam algumas parcelas direitinho, mas depois eles somem do mapa com o dinheiro e deixam a pessoa comprometida com dois empréstimos, geralmente de valores vultosos. É preciso tomar muito cuidado com essas situações e evitar tratar com intermediários, priorizando sempre o contato com as instituições financeiras diretamente — orienta.

André ressalta, contudo, que se o colaborador preferir tratar com um intermediário, não deve depositar qualquer valor para essa pessoa, pois as operações de portabilidade de crédito e similares não exigem esse tipo de prática. A lista de instituições financeiras cadastradas pelo Senado pode ser consultada pela Intranet, na Central de Serviços Administrativos > Pessoal > Remuneração > Margem Consignável.

O chefe da Seconf pede aos colaboradores que denunciem tentativas de golpe ou abordagens suspeitas para a Secretaria de Gestão de Pessoal (SEGP) por ofício ou e-mail para que a Casa comunique aos bancos.